ENDEREÇO

Rua Conde de Bernadotte, 26 - Leblon

Rio de Janeiro - RJ, 22430-200

CONTATO

Tel: (21) 2529-7700

contato@teatropetragold.com.br

SIGA-NOS

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

CRIMES DELICADOS

18 DE JANEIRO A 16 DE FEVEREIRO

SÁB E DOM 17H

CRIMES DELICADOS​

Crimes Delicados ganha nova montagem e após sua temporada de sucesso na capital paulistana, estreia aos Sábados e Domingos as 17:00h - 18 de janeiro a 16 de fevereiro, no Teatro PetraGold. Marcus Alvisi dirige o elenco formado pelos atores Daniel Dantas, André Junqueira e Well Aguiar. O texto de José Antônio Souza (morto no último mês de julho) escrito na década de 1970 teve a sua primeira montagem dirigida por Antônio Abujamra.


O elenco todo masculino (que está, simultaneamente, em cartaz com a peça O Inoportuno, no mesmo teatro) dá vida ao casal Lila (André) e Hugo (Well), que trama o assassinato da sua empregada Efigênia (Daniel). Humor, drama e suspense se alternam em cena enquanto o casal vê Efigênia resistir fortemente aos ataques dos patrões, que estão encurralados pela situação. A peça esteve em cartaz no Rio de Janeiro em 2017 no Teatro dos 4, Teatro Dulcina e Teatro Glauce Rocha, e na época Efigênia foi interpretada pelo ator Bernardo Schlegel.

 

O diretor Marcus Alvisi diz que o texto é atemporal e fala sobre o poder e, principalmente, o abuso que o casal faz dele sentindo-se impune no sentido absoluto do termo. "Parece uma temática interminável. Uma comédia vertiginosa sobre a manipulação do poder em seus meandros mais obscuros. Inclusive o poder de matar. Entretanto, paradoxalmente, trata-se de um texto solar.
Essa ambiguidade entre luzes e sombras faz de Crimes Delicados uma joia da literatura dramática brasileira. Uma peça com matizes quase surrealistas e a precisão cirúrgica em seus diálogos, inspirado, talvez, no melhor de Ionesco, Beckett, Guelderode e Arrabal. Tudo isso está misturado nesta peça, mas não se iludam: é radicalmente José Antônio de Souza”, afirma.


Força do texto


O texto de José Antônio de Souza aposta em diálogos rápidos e precisos, o que lhe confere grande força. Por isso, Alvisi aposta na simplicidade para que esse elemento ganhe ainda mais destaque em cena. “A linguagem e a urdidura da trama respiram num só rasgo. O diálogo é ação, a ação é diálogo. Desde a primeira palavra já é possível criar a atmosfera dessa obra. Da segunda em diante é só vertigem. O autor vai nos revelando o imprevisível numa organicidade sem emendas, sólida e nervosa. A ação dramática se avoluma a cada fala pois o texto é trabalhado com rigor e sem arestas. E como num jogo, onde o improvável pode acontecer, Crimes Delicados vai às
últimas consequências neste sentido.


O espetáculo tem uma série de matizes quase surrealistas e a precisão cirúrgica em seus diálogos, que, segundo o diretor, podem ter bebido na inspiração do melhor de Ionesco, Beckett, Guelderode e Arrabal. "E tudo isso aparece em cena misturado, mas não se iludam: Crimes Delicados é radicalmente José Antônio de Souza”.
 

Ficha técnica:

Texto - José Antônio de Souza.

Direção - Marcus Alvisi.

Elenco - André Junqueira, Daniel Dantas e Well Aguiar.

Preparação Vocal - Rose Gonçalves.

Direção de Movimento - Luciana Bicalho.
Iluminação - Carlos Lafert.

Figurino: Carol Gama.

Cenário . Trilha Sonora - Marcus Alvisi Tauã de Lorena.

Maquiagem e Efeitos - Renata Imbriani, Lorena Rocha e Paula Sholl.

Costureira - Madalena Sousa.

Diretor de Produção - André Junqueira.

Produtor Executivo - Well Aguiar.
Produção - Lucas Donso e Adriana Gusmão.

Operador de Luz - Larissa.

Operador de Som - Alan.
Edição de Imagem - Jony Luz.

Assessoria de Imagem - Léo Gama.

Realização - Enigma Eventos
Filmes e Produções Artísticas.